Muralhas vão passar a ser “visitáveis”

0

A Câmara Municipal de Guimarães anunciou a abertura de um projecto que vai permitir a circulação pública (e em segurança) das mais conhecidas muralhas vimaranenses, a Torre da Alfândega e da Avenida Alberto Sampaio. Ainda assim, não se livra de uma pequena polémica.

“Aberta” ao público em 2014, através do projecto “À Volta da Muralha” do Orçamento Participativo, a grande muralha da Avenida Alberto Sampaio será munida de um passeio assente na pedra para a circulação pública, à semelhança do que acontece no Castelo de Guimarães. O projecto será feito em duas fases com o apoio da Associação Muralha que prevê assim uma melhor compreensão da função destes edifícios centenários.

Numa segunda fase, está prevista a inserção da histórica muralha “Aqui Nasceu Portugal” neste percurso. Envolta em polémica devido à compra de dois edifícios adjacentes à torre por um privado, cujos acessos se podem fazer pelo interior desses edifícios, há ainda uma possibilidade (remota) de um terceiro acesso a esta. No entanto, o vereador José Bastos afirma que há um acordo entre o Município e o proprietário para manter um dos acessos ao topo da muralha ao alcance do “público”.

De salientar que os acessos a estes muralhas nunca foram públicos e que ambos careciam de autorização, quer da Câmara Municipal ou Museu de Alberto Sampaio para a grande muralha, quer dos anteriores donos dos edifícios “colados” à Torre da Alfândega.

Share.

Comments are closed.