Já conheces Ricardo “Fox” Pacheco? O ‘Cristiano Ronaldo’ dos E-sports é natural de Guimarães

0

Os e-sports chegaram para ficar. A indústria conta com mais de 300 milhões de adeptos e reúne jogadores profissionais vindos de toda a parte do mundo.

Os e-sports são uma nova modalidade desportiva que coloca frente a frente equipas compostas por talentosos jogadores de videojogos e que incluem várias categorias, dependendo do jogo. Tal como o futebol e outras modalidades mais tradicionais, os e-sports mobilizam centenas de fãs em Portugal, que se dedicam a encher pavilhões para assistir às melhores competições do género. No nosso país, nenhum videojogo é tão popular no contexto dos e-sports como o Counter Strike: Global Offensive (também conhecido como CS:GO), e o melhor jogador de e-sports português é mesmo originário de Guimarães.

RICARDO “FOX” PACHECO
Ricardo “Fox” Pacheco até começou por ser piloto de motocross, mas abandonou uma carreira promissora na pista de corrida para se tornar no ‘Cristiano Ronaldo’ dos e-sports em Portugal. No passado dia 17 de novembro, Ricardo Pacheco liderou a equipa da Vodafone Giants à conquista da Master League Portugal, torneio que foi incluído no programa da Moche XL Games World. Face aos bracarenses da OFFSET, “Fox” Pacheco e companhia levaram a melhor numa final renhida de CS:GO que terminou com o resultado favorável de 15-11. Uma vitória que recoloca o vimaranense no topo da lista dos melhores atletas de e-sports em Portugal, depois de um período pouco comum de ‘jejum’ ao nível de títulos.

UM ÍDOLO NATURAL DE GUIMARÃES
A aventura de Ricardo “Fox” Pacheco no CS:GO começou de forma casual a partir de jogos realizados no seio de um grupo de amigos. Quando se começou a dedicar mais a sério à modalidade, acabou por assinar o seu primeiro contrato profissional com a Kinguin, uma organização estrangeira de e-sports. Acabou por se tornar num dos grandes nomes do CS:GO em Portugal, e confessou numa entrevista a um órgão de comunicação vimaranense que planeia continuar a ser jogador profissional até que “deixe de ser uma mais-valia para a modalidade”.

Falando de e-sports num contexto mais geral, Ricardo Pacheco alertou em 2018 para a pertinência do setor, principalmente ao nível económico. Embora não seja tão promovido como o cinema ou a música, o mundo dos videojogos é o setor industrial mais lucrativo do universo do entretenimento, reunindo em todo o mundo milhões de adeptos fanáticos. “Fox” Pacheco confessa que um bom atleta de e-sports norte-americano pode fazer até $500,00 por mês caso se dedique com sucesso a atividades complementares como streaming ou ações promocionais. Mesmo em Portugal, onde os e-sports não estão tão desenvolvidos como nos Estados Unidos, é possível para um profissional coletar ordenados mensais superiores aos da maior parte dos jogadores profissionais de futebol da primeira liga! E os paralelismos com o desporto-rei não acabam por aqui…

Tal como os futebolistas, os atletas de e-sports estão vinculados a equipas por contratos exclusivos, são alvo de várias ações de promoção, idolatrados por adeptos de todo o país, e envolvidos em regimes controlados de treino. Existem estruturas hierárquicas nas equipas, horários de treino que devem ser respeitados, e alguns casos de transferências milionárias. A tendência da indústria tem, até ao momento, apontado em exclusivo para um crescimento económico notável, e em Portugal os e-sports já atraíram a atenção das principais marcas e de estações de televisão como a RTP1.

OUTRAS CARREIRAS ALTERNATIVAS
Num mundo em crescente mudança, onde a tecnologia e a Internet assumem um papel cada vez mais fulcral, são diversas as carreiras ao acesso dos jovens. Se fazer a vida a jogar jogos de computador parecia não só improvável como impossível há menos de duas dezenas de anos, hoje em dia é não só plausível como extremamente lucrativo! Ricardo “Fox” Pacheco dedica-se em exclusivo à modalidade e já conseguiu coletar uma grande soma de dinheiro graças ao seu talento para o CS:GO.

Novas carreiras têm enriquecido muitos jovens por todo o mundo e têm surgido no contexto de um mundo extremamente conectado através das redes sociais e do poder unificador da Internet. Os instagramers são um excelente exemplo: pessoas que se dedicam em exclusivo à partilha de conteúdos no Instagram e que conseguem através do estabelecimento de uma base fiel de seguidores atrair o interesse de diversos patrocinadores.

Em Portugal assiste-se ainda ao crescente fenómeno do poker. Com o licenciamento de sites como o 888 Poker Online uma nova geração de jogadores profissionais tem surgido no nosso país. Tal como acontece nos e-sports e com os instagramers, existe muito dinheiro envolvido! Ao contrário do que acontecia há pouco tempo, estas carreiras alternativas deixaram de ser vistas com preconceito, sendo por sua vez admiradas por legiões de seguidores e patrocinadas por grandes empresas.

Os tempos estão definitivamente a mudar, e os novos ídolos do Século XXI são muitas vezes aqueles que mais tempo dedicam a explorar o seu potencial através de um ecrã de computador ou da Internet.

Share.

Comments are closed.