Guimarães: cidade que deixou o berço e agora é grande

0

Guimarães tem vindo a acompanhar as tendências das principais cidades europeias. Aliás, tem reforçado esta posição fazendo muitas cidades olharem para o berço de Portugal como exemplo.

Fica a uns meros 40 km do Porto e tem uma ligação direta com o Aeroporto. Guimarães ganha cada vez mais olhares atentos e os convites surgem um pouco por todo o lado; seja na imprensa ou no boca a boca.

A aposta na arte e na cultura tem sido um fator determinante para a “cidade berço” encabeçar vários títulos e assim ganhar uma grande vantagem sobre outras potenciais concorrentes de nível nacional. 2012 veio alterar um pouco o paradigma do “viver Guimarães” que ficou assim conhecida pela eclética quantidade de espetáculos no seu programa semanal.

Embora já conhecida pelos seus eventos, há ainda que referir o património cultural. Deixou-se de olhar só para o Castelo, o Paço dos Duques e o Centro Histórico, para observar mais atentamente esses mas também o Mosteiro de S. Torcato, o Centro Internacional das Artes José de Guimarães ou a Penha, entre muitos outros.

O sector económico chegou mesmo a ter muitos olhares atentos na nova cidade cosmopolita. São os casos da Uber e outras plataformas de transporte de passageiros. Também os serviços de estafetas, como é o caso da Glovo, adicionaram um pouco de “cidade nova” à velha “cidade berço”. Entretanto irão surgir novas formas de mobilidade na cidade e zonas periféricas (exemplo da Frog) e aí sim, deveremos concluir um processo que tanto tem de lento como de rápido, pois passaram poucos anos desde 2012.

NOVOS NEGÓCIOS, NOVAS ATRAÇÕES
As requalificações em curso contribuem também para o aumento do tempo de visita à cidade. Falamos do novo percurso pedonal da Muralha e da futura vista panorâmica da Torre da Alfândega. Ambos começam a ser requisitos obrigatórios dos turistas nos Tuk Tuk, da Peddy Tours e do Yellow Bus.

Há ainda espaço para aqueles que têm tantos olhos como barriga. Os novos sítios gastronómicos que têm surgido são cada vez mais alvo de visitas frequentes, tanto dos locais como do público de fora. A lista das cozinhas mais concorridas já é grande e passam muito pel’A Cozinha, Le Babachris, Dan’s, Vira Bar, Histórico Papaboa, São Gião ou o 34.

Numa cidade cada vez mais jovem e com soluções para todos os gostos no que toca à vida noturna há também que salientar uma certa harmonia entre os bares do centro histórico e as habitações ali existentes. No entanto falta expandir para outras zonas uma movida cada vez mais apertada na zona velha da cidade.

Este artigo chega como resumo das enumeras publicações de que Guimarães tem sido alvo nos últimos tempos. Do português Ekonomista ao mais recente artigo dos norte-americano The Epoch Times, são muitos aqueles que têm reparado nesta pequena cidade medieval.

Share.

Comments are closed.