Para um coletivo de artistas “O Tempo Não Parou”

0

A pandemia trouxe muita criatividade a um coletivo informal de artistas de Guimarães. O projeto “O Tempo Não Parou” revelou-se agora em disco.

Sem agenda de espetáculos e com trabalho em suspenso, três criativos de Guimarães decidiram colocar mãos à obra e ligar músicos de várias gerações e pontos geográficos, estabelecendo parcerias e catapultando a sua criatividade.

“dois mil e vinte” é o primeiro resultado do projeto que nasceu na colaboração entre a associação 3M (Guimarães) e Eixo do Jazz (Famalicão) que desafiaram vários artistas de renome local e nacional a produzirem uma coletânea a partir dos seus espaços de quarentena.

Com a produção de Helder Costa, Nuno Cachada, Cristina Marvão e Samuel Coelho, nasceu “dois mil e vinte”, um álbum que conta com a participação de nomes como Mário Laginha, Pedro Emanuel Pereira, Aníbal Zola, Marco Ferreira, Mário Gonçalves, entre muitos outros.

Este primeiro álbum conta com o apoio do Município de Guimarães através da linha de apoio IMPACTA. Os primeiros temas já podem ser ouvidos online.

Share.

Leave A Reply