Há música e teatro para explorar o imaginário de miúdos e graúdos

0

Dois projetos do setor da Educação e Mediação Cultural d’A Oficina vão encontrar-se durante vários dias no Centro Cultural Vila Flor e na Casa da Memória de Guimarães. Há inscrições abertas para escolas e público em geral.

“No Escuro” e “Dar Corda à Casa” estreiam-se na cidade berço nos dois equipamentos públicos geridos pel’A Oficina. Em ambos os projetos estão previstas datas para escolas, professores e até público que pode ir desde crianças pequenas aos nossos avós. E cabem todos no imaginário do conhecido e do desconhecido.

A Plataforma 285, de Raimundo Cosme, apresenta-se em Guimarães com o projeto “No Escuro“. Uma viagem por aquele que é, à partida, um medo normal de todos. Agora, e com a ajuda de vários artistas, estas sessões propõe-se a trabalhar com o público diferentes conceitos do escuro. “Onde é que mora o escuro? Onde é que ele está quando eu não o estou a ver? Será que ele pode falar connosco?”

Também por estes últimos dias de janeiro o público vai poder “Dar Corda à Casa“. Músicos profissionais e amadores aceitaram o convite de Daniel Pereira Cristo para se juntarem, ensaiarem e construírem um projeto conjunto que será partilhado com o público na esperança de fazer renascer na cidade a paixão pela nossa música tradicional e, em particular, por estes instrumentos.

Para ambos os projetos, o público pode inscrever-se através de email, por telefone ou então presencialmente. Há preços especiais para as escolas e há também sessões para o público geral. Toda a informação pode ser consultada através da Educação e Mediação Cultural.

Share.

Comments are closed.